Futebol Feminino no Brasil

19 de agosto de 2016

Em uma entrevista ao site UOL, pouco antes das semifinais das Olimpíadas, a recordista jogadora Formiga disse que trocaria qualquer medalha pela profissionalização do futebol feminino no Brasil. “Eu não teria medalha, mas o país ganharia muitas. Basta profissionalizar para que venha o ouro muitas vezes”, disse ela.

De fato, comparado aos países com mais medalhas olímpicas neste esporte, o Brasil não passa de um amador no futebol feminino. Não como seleção, mas como organização. Nós mal temos um campeonato nacional bem organizado: não há divisões como no masculino, o público nos estádios é ínfimo, o patrocínio é raro, dos grandes clubes são poucos os que têm time feminino, além da atenção da mídia ser mínima.

Para se ter uma ideia, países como Canadá e Estados Unidos possuem 4 divisões nacionais. Às brasileiras, resta competir por clubes geralmente pequenos nas poucas partidas do calendário anual.

Marta - a camisa 10 com seu nome não existe à venda nas lojas de esporte

Marta – a camisa 10 com seu nome não existe à venda nas lojas

Até 2007, as competições de futebol feminino no Brasil eram quase inexistentes. Haviam apenas alguns estaduais e a chamada Taça Brasil, que foi cancelada várias vezes e teve vários nomes. Neste ano, a CBF cria a versão feminina da Copa do Brasil, disputada por 32 equipes. O problema nela é que, ainda hoje, os times podem ser eliminados após realizarem somente 2 jogos, menos até que no torneio das Olimpíadas, que é considerado de curta duração.

Em 2013, com o apoio do Ministério dos Esportes e o patrocínio da Caixa Econômica Federal, foi realizado o primeiro Campeonato Brasileiro feminino, onde a situação melhorou um pouco: agora, os times jogam no mínimo 4 partidas.

Só para se ter uma ideia, na Série A do Brasileirão, as equipes masculinas jogam 38 partidas no total, sendo que às vezes jogam até 3 por semana. Além disso, a fórmula de disputa do campeonato feminino é igual à da Série D (quarta divisão) do masculino, só que com menos times.

Partida entre Corinthians Audax e Vasco pela quarta e última rodada do campeonato

Jogo entre Corinthians Audax e Vasco pelo Campeonato Brasileiro 2016

Como dito anteriormente, não há divisões. Assim, os times femininos jogam um ano sem saber se estarão na disputa no ano seguinte. Os piores times não são rebaixados, nem os melhores (da Segundona) promovidos, o que afeta a qualidade da competição. Como não há apoio da mídia, o público mal aparece para ver os jogos, afetando também o equilíbrio financeiro do campeonato.

Com o sucesso da seleção feminina em 2016, que caiu nas graças do público, cresce a pressão para que a CBF faça um planejamento sério e melhore a organização do futebol feminino no Brasil. Mas contando que esta foi a quinta vez que elas chegaram nas semifinais olímpicas e muito pouco foi feito posteriormente, fica a dúvida se em 2020 elas terão que brigar novamente não só pela medalha, mas pelo reconhecimento de sua modalidade no chamado “país do futebol”.


Jogadora brasileira marca golaço!

28 de julho de 2016

As Olímpiadas 2016 ainda nem começaram e o futebol feminino do Brasil já está fazendo bonito. Em partida amistosa contra a Austrália, a atacante Raquel marcou um golaço de fora da área, depois de um cruzamento majestoso da zagueira Érica. Confira:

O Brasil venceu o jogo por 3 a 1 e agora se prepara para encarar a China, pela primeira partida do torneio olímpico!


Sensação da Euro, Islândia quase veio ao Brasil

28 de junho de 2016

Oslo, 15 de outubro de 2013 – jogando fora de casa, a seleção da Islândia empatava com a Noruega e garantia o 2º lugar do Grupo E das eliminatórias da Copa 2014. Com o resultado, os islandeses entravam na disputa pela vaga e enfrentariam a forte Croácia, para decidir quem viria ao Brasil.

islandia

No primeiro jogo contra os croatas, realizado na capital Reiquiavique, a Islândia conseguiu um heroico empate oxo e foi para a partida final, em Zagreb, em igualdade de placar com o adversário. No entanto, jogando em casa e com o apoio de sua torcida, a Croácia venceu por 2 x 0 e, meses depois, jogava contra o Brasil, em São Paulo, na partida de abertura do mundial.

Para os islandeses, ficou apenas um pensamento: que eles poderiam enfrentar qualquer time de igual para igual e conseguir uma classificação no futuro. E essa classificação veio 2 anos depois, quando venceram a Holanda e conseguiram a vaga na Euro 2016, iniciando uma campanha no torneio tão lendária quanto as famosas sagas da literatura nórdica.

A Copa de 2014 no Brasil foi uma das únicas na história que não contou com nenhum país do norte da Europa entre os classificados. Mas, embora tenha deixado a vaga escapar no último jogo das eliminatórias, a Islândia iniciou uma nova fase de seu futebol, quando este passou de mero coadjuvante para um ator expressivo na Europa.

E para 2018, a Rússia, que será a sede do mundial, parece bem perto!


Guiné-Bissau no auge!

6 de junho de 2016

A Guiné-Bissau classificou-se pela primeira vez na história para a Copa Africana de Nações, o campeonato continental da África. Graças à vitória em casa por 3 x 2 sobre a Zâmbia, campeã do torneio em 2013, a equipe lusófona saiu vencedora do grupo E da fase de classificação, que ainda tinha o Congo e o Quênia.

Guiné-BissauApesar do surpreendente resultado, de vencer um grupo com três oponentes muito mais fortes, quem acompanha a seleção da Guiné-Bissau sabe que ele não foi por acaso. A equipe já vinha batendo na trave há muitos anos, conquistando resultados positivos contra equipes mais bem ranqueadas, mas falhando na classificação final.

Desta vez, os guineanos fizeram bem o dever de casa, e tiveram também um ótimo desempenho contra o Quênia e a Zâmbia na casa dos adversários, garantindo pontos importantes na tabela. O resultado foi a classificação inédita, garantindo-se a primeira presença do país de língua portuguesa na CAN.


Novas Seleções Filiam-se à FIFA

18 de maio de 2016

Neste mês de maio, dois novos países foram aceitos como membros filiados da FIFA: Kosovo e Gibraltar. Enquanto o primeiro declarou sua independência da Sérvia em 2008 e é parcialmente reconhecido, o segundo é um pequeno território autônomo pertencente ao Reino Unido.

Bandeira do Kosovo

Bandeira do Kosovo

Membros também da UEFA, as duas seleções agora preparam-se para seu primeiro desafio, a disputa das eliminatórias europeias para a Copa do Mundo 2018, que começam em setembro!

O último país que havia filiado-se à FIFA foi o Sudão do Sul, em 2012. Atualmente, apenas 8 nações soberanas não são filiadas à organização.


Tudo pronto para a Copa do Caribe

18 de janeiro de 2016

cfuFoi realizado neste último sábado, 16/01, em um resort em Saint John’s, capital de Antigua e Barbuda, o sorteio das eliminatórias da Copa do Caribe, que em si já são consideradas como parte do torneio. O bolapé te dá em primeira mão o resultado do sorteio, que é quase como uma aula de geografia, de tantos nomes de ilhas caribenhas.

Exatamente 21 seleções irão competir na primeira fase, separadas em 7 grupos. Os anfitriões do sorteio ficaram no grupo 1 e enfrentarão Aruba e São Cristóvão e Neves. Já no grupo 2, destaque para seleção de Sint Maarten, país de língua holandesa, que fará sua estreia na competição contra Granada e as Ilhas Virgens Americanas.

A seleção de Cuba, que já foi campeã do torneio, jogará no grupo 3 contra Bermudas e a Guiana Francesa. No grupo 4, a República Dominicana enfrentará Barbados e Curaçao. Já Porto Rico ficará no grupo 5, junto com a forte Guiana e a fraca Anguila.

O grupo 6 terá a participação de outra estreiante, a seleção de Saint Martin (ou São Martinho), que enfrentará o Suriname e Guadalupe. Por fim, no grupo 7, a Martinica joga contra as Ilhas Virgens Britânicas e Dominica.

Os dois melhores de cada grupo avançarão para a próxima fase, quando se juntarão à seleção de São Vicente e Granadinas e serão divididos em 5 novos grupos de 3 seleções cada. Que os jogos comecem!


O Gol Mais Bonito do Ano

12 de janeiro de 2016

Saiu o resultado do Prêmio Puskás da FIFA de 2015. E, para a alegria do bolapé, o vencedor foi Wendell Lira, um jogador brasileiro até então desconhecido, que bateu nada mais nada menos que Lionel Messi na votação final.

O Gol coroado foi marcado por Wendell durante o campeonato estadual de Goiás em 2015, na partida do Goianésia contra o Atlético Goianiense. Na época, o time terminou em terceiro lugar no campeonato. Mesmo assim, o jogador foi dispensado e estava sem clube até vir a notícia da indicação ao prêmio. Agora, ele está contratado pelo Vila Nova, também de Goiás, que irá jogar a Série B do Campeonato Brasileiro este ano.

Mais do que um merecido prêmio para um belíssimo gol, a vitória de Wendell representa a vitória do futebol arte, do futebol lado-b, longe dos holofortes e salários milionários, a vitória do futebol brasileiro e de sua dura realidade.

Que mais Wendells apareçam em 2016, tocando sua Lira com maestria, para o bem do esporte nacional e deleite da torcida!